07/05/2013

O meu irmão mais velho

O meu irmão mais velho faz 40 anos. Chiça, 40 anos é muita coisa. Embora ele tenha 40 anos, só há coisa de 25 anos é que deixou de me bater, o que aceitei de bom grado.

Foi pelo facto de ele ter insistido e muito com o meu pai para ter uma mota, e nunca a ter tido, que eu escusei algum dia de pedir.

Foi pelo facto de ele ter insistido e muito com o meu pai para ter um computador Spectrum e lhe ter dado que eu desenvolvi o gosto pelos computadores. Ainda assim, ele, que foi para desporto, gosta mais de computadores que eu. E eu que fui para informática, acho que gosto mais de desporto do que ele. Há aqui algo de errado.

Quando éramos mais novos, eu tinha melhores notas do que ele. E quando eu o confrontava com isso, ele dizia: "Se eu não for para a universidade, começo a trabalhar e a ganhar dinheiro. Depois vou com um grande carrão visitar-te à universidade. E tu, nessa altura, deves andar por lá feito cromo com uns óculinhos de totó". Curiosamente, ou não, ele depois da licenciatura ainda tirou um mestrado e eu não. Curiosamente, ou não, ele usa óculos e eu não. Há aqui algo de estranho.

A principal actividade dele era gozar comigo e principalmente com os meus dentes, que são, como hei de dizer... gran... são enormes, é isso. Então, no Spectrum, não poucas vezes, desenhava rectângulos enormes. Quando o meu irmão mais novo lhe perguntava o que era, o diálogo era mais ou menos este:
- Que é isso?
- O que é que achas que é?
- Uns calções? Uma piscina?
- Não, são os dentes do Eduardo.

Mas uma coisa que nunca vou esquecer é a série de jogos de Monopólio que passávamos a jogar. Ele ganhava sempre, ou por mérito, ou porque me enganava bem enganado, ou porque roubava dinheiro do banco ou porque calhava no estacionamento livre demasiadas vezes. Mas uma vez tudo corria a meu favor. Eu tinha dinheiro, hotéis, casas, os melhores terrenos. E ele tinha quase nada... Mas também teve uma súbita vontade ir à casa de banho. E quando foi, disse "Nada de me roubares dinheiro! Olha que eu sei bem quanto tenho e quanto tens!". Eu lá queria roubar alguma coisa? Só o queria levar à falência. Ele lá foi e passado um minuto, faltou a luz. Como já era de noite, ficou tudo às escuras. Ele chega ao quarto, finge que não vê nada e dá um chuto no tabuleiro. Era a desculpa para o jogo terminar sem que ele perdesse. Logo a seguir, vai ao quadro e põe o interruptor para cima.

E é por estas (e por outras que não se podem contar aqui) que o meu irmão mais velho é o meu irmão mais velho favorito. E também porque foi ele que me convenceu a ser do Sporting. Não é a melhor altura para falar nisso, mas tem de ser dito.

Parabéns Emídio, feliz aniversário! Vou tratar de arranjar um Monopoly online onde a luz não falte ;-)

10 comentários:

  1. Eheh, brutal. O teu irmão é um sabido! ;p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Brutal não diria, mas a parte brutal foi só até há 25 anos atrás :)

      Eliminar
  2. Olha muito obrigada por este momentinho. Fartei-me de rir!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Era parte da ideia. Não tens de quê :)

      Eliminar
  3. Quem te manda ser dentudo? :P Essa do pontapé no tabuleiro do jogo às escuras é brilhante! O que eu me ri com isso xD Parabéns ao teu mano mais velho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Houve outras parecidas, mas o post já ia longo :)

      Eliminar
  4. és tão querido quando falas da tua família :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sou mesmo? Os meus anónimos são mto queridos quando assinam com um nome mais ou menos falso :P

      Eliminar
  5. Obrigado a todos e um obrigado especial para ti meu querido irmão e companheiro!
    Quando vieres ao Algarve, traz o tabuleiro. :)
    Abração!! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O tabuleiro e as chuteiras ;)
      Abraço

      Eliminar

Se queres deixar link, faz assim:
<a href="LinkDoTeuBlogue">NomeDoTeuBlogue</a>

Se viste algum erro e só queres fazer o favor de me avisar, faz assim:
TBD Erro->Correção

Se achaste graça, faz assim:
Ahahaha!

Se fazes questão que te responda, deixa um ponto de interrogação.

Se queres comentar anonimamente, assina no fim com um nome mais ou menos falso.

Em todos os comentários, deves tratar-me por tu. A não ser que me queiras insultar. Nesse caso, trata-me na terceira pessoa.